Dia da Internet Segura chama a atenção para cidadania de usuários da rede

fevereiro 5, 2013 at 9:12 am Deixe um comentário

Fazer com que os internautas tenham consciência de seus direitos e deveres online. Este é o tema do Dia da Internet Segura, realizado nesta terça-feira (5). Durante a data, organizada pela Safernet (entidade que milita pela proteção dos direitos humanos na internet), há várias ações de conscientização pelo país.

Haverá um debate via hangout (ferramenta de vídeo da rede social Google+) com especialistas e internautas às 16h. Vão participar: Marcelo Tas, apresentador do programa “CQC”, Jean Wyllys, deputado federal, e Maria do Rosário, ministra dos Direitos Humanos.

Isadora Faber, autora da página do Facebook “Diário de Classe”, também participará do bate-papo pela internet para comentar como ela conseguiu mudar aspectos de sua escola ao denunciar na internet.

Dicas para pais mostram como os filhos podem usar a internet com segurança

 A cena já é mais do que comum: seu filho em frente ao computador horas a fio e você nem sabe muito bem o que ele está fazendo. A internet, além de fonte de diversão para as crianças, também é cheia de perigos e gente mal-intencionada. Isso não significa que você deva proibir a navegação online, mas é preciso ficar atento a algumas boas práticas. Veja a seguir dicas para pais sobre o uso seguro da internet pelas crianças.
 Proibir não educa
Existem pais que acabam recorrendo à proibição do uso da internet como forma de evitar a exposição dos filhos aos perigos da rede. No entanto, é preciso lembrar que o acesso não fica restrito à sua casa: a criança vai ter contato com a internet na casa de um amigo, na escola, via smartphone, iPod… A Safernet, ONG de defesa dos direitos humanos na internet, lembra que diálogo e orientação ainda são as ”melhores tecnologias” para proteger seus filhos.
 Estabeleça um diálogo contínuo e aberto
A segurança na internet deve ser sempre passada às crianças como uma orientação e não como simples regra imposta, alerta a Safernet. Isso é importante para que seus filhos entendam que estão fazendo algo para o próprio bem e não por mera obrigação. O importante, quando se trata de educar pequenos internautas, é transmitir valores éticos, que se mantêm os mesmos na vida virtual e também na ?real?
 Deixe o computador à vista
Uma dica simples, mas que pode ajudar no monitoramento das atividades do seu filho na internet é manter o computador em um local onde todos convivam, como a sala, por exemplo. O objetivo aqui não é espionar o que a criança faz, mas estar por perto para orientá-la sempre que necessário.
Facebook e Orkut: só a partir dos 13 anos
Não é à toa que redes sociais possuem regras sobre a idade mínima para cadastramento. A restrição existe justamente para proteger as crianças de conteúdo inadequado à sua faixa etária. O Facebook, por exemplo, não permite cadastro de menores de 13 anos. O Orkut, para quem tem entre 13 e 18, exige uma declaração de que os pais autorizaram o uso do serviço.
 Use softwares de controle parental
Existem programas que ajudam a controlar buscas por determinados termos e regulam o acesso a sites na internet. São ferramentas que auxiliam o controle dos pais, mas vale lembrar que elas não devem substituir a orientação e o diálogo com as crianças. Afinal, você pode instalá-los no computador da sua casa. E fora dela? O acesso à internet também ocorre na casa do amigo, via smartphone, LAN house, iPod… Caso opte por utilizar esses softwares, lembre-se sempre de mantê-los atualizados.
  Crie uma pasta de sites legais para visitar
Os navegadores de internet permitem a criação de pastas com atalhos para sites. Aproveite para manter um local com endereços confiáveis que podem ser visitados pelas crianças por conta própria.
Limite o tempo diante do computador
Estabeleça junto com seu filho um tempo limite para que ele passe no computador, assim como fazem para o uso de outros eletrônicos, como o videogame e a TV.
 Cuidado vem antes da curiosidade
Cibercriminosos sempre se aproveitam da curiosidade dos internautas para aplicar golpes. Portanto, é interessante ensinar seu filho a ser cuidadoso em vez de curioso ao receber e-mails com links e anexos, mesmo que tenham sido enviados por amigos. Ao clicar, a criança pode instalar sem querer programas espiões ou vírus no computador. 
 Dados pessoais não devem ser compartilhados
Ensine a criança a não compartilhar dados pessoais como nome completo, endereço, telefone ou logins e senhas de acesso a serviços online. Até mesmo fotos publicadas em sites de relacionamento podem ser usadas por criminosos para identificar informações como em que escola a criança estuda e o número da casa onde mora.
Conheça os amigos online do seu filho
Muitos sites com jogos online, mesmo aqueles dedicados exclusivamente ao público infantil, mantêm redes sociais. É importante acompanhar quem são os amigos ”virtuais” da criança e ensiná-la a não compartilhar dados pessoais e senhas.
Acredite: criança sabe (quase) tudo
Nunca subestime o conhecimento das crianças ou sua capacidade de descobrir coisas por conta própria na internet. Em vez de adotar uma postura autoritária ou presunçosa, mostre para seu filho que você também está disposto a aprender junto com ele. É nessa hora que você tem oportunidade de ensiná-lo a ser cuidadoso na internet.
Dê o exemplo
Se você ensina seu filho a não clicar em qualquer link, por que então não faz o mesmo? Ao manter um comportamento seguro online, você evita que um computador de uso compartilhado pela família fique exposto a pragas da internet, como programas espiões que roubam dados de login, senha e cadastros.
Fique esperto!
Mantenha-se sempre informado: existem sites que trazem dicas específicas para pais, educadores e crianças.

Para acompanhar o debate, é necessário acessar a rede social Google+ ou o canal daSafernet no YouTube.”Nosso objetivo é lembrar que a internet é um espaço coletivo e, como a vida real, exige regras de convivência”, disse Rodrigo Nejm, diretor de prevenção da Safernet. A instituição liberará vídeos para educadores sobre segurança na internet e um portal feito especificamente para adolescentes com dicas de bom comportamento na rede.O Dia da Internet Segura é realizado simultaneamente em mais de 85 países. No Brasil desde 2009, o evento é uma iniciativa criada pela Rede Insafe, entidade que agrupa organizações europeias que promovem o uso consciente da rede. Em países da União Europeia, a data é comemorada desde 2003.

Bê-á-bá: saiba quais são as pragas virtuais e veja dicas para se proteger

 Está pensando em medidas drásticas para garantir a segurança do seu computador? Antes de tudo, é importante conhecer os riscos que existem na internet. São tantos termos (e em sua maioria, em inglês) que para alguns usuários fica difícil entender o perigo que representam.
A seguir, iremos mostrar o que são essas pragas e como fazer para se proteger delas.
  • Vírus
É um programa ou código que “infecta” um ou mais programas embutindo uma cópia de si mesmo em outros programas, arquivos e dispositivos — pode ser um computador, celular, pendrive e, até mesmo, tablet. Uma vez instalado, o vírus tem o poder de se propagar para outros dispositivos, espalhando seu código, até mesmo sem o usuário percebe.
 Como se proteger: São vários os dispositivos que podem ser infectados, então vale sempre manter um programa antivírus instalado, atualizado e ativo. Assim, quando você clicar em algo infectado, como um link na internet, ou ”espetar” um pendrive e executar mídias externas (disquetes, CDs, DVDs), o aplicativo de segurança vai alertá-lo do perigo e remover a praga.
  • Worm (verme)
É um programa que se propaga automaticamente numa rede e envia, de computador a computador, cópias de si mesmo. Ele usa brechas de segurança em sistemas e softwares para infectar um computador. Difere do vírus por não infiltrar cópias de si mesmo em programas e arquivos; também não necessita ser executado para se espalhar.
Como se proteger: Além de ter um programa antivírus instalado, é importante manter o sistema usado no computador e softwares usados com frequência sempre atualizados. As empresas liberam com frequência pacotes com correções para eliminar as brechas exploradas pelos worms. Usar um firewall — programa que analisa as informações que chegam da internet e que são enviadas de volta — pode evitar o acesso externo à vulnerabilidade de algum programa instalado no computador.
  • Trojan (cavalo de troia)
Programa malicioso que é instalado computador sem que o usuário perceba seu perigo. Pode vir de fontes ”legítimas” em anexos de e-mail, supostas atualizações de softwares, janelas tipo pop-up com ofertas de download. Ele abre brechas na máquina para seu controle remoto, seja pela invasão de hackers ou outros visitantes indesejados.
Como se proteger: Nunca baixe um programa ou abra um anexo de e-mail, mesmo que tenha sido enviado por uma fonte legítima, se não tiver instalado e habilitado um programa antivírus no seu computador. O aplicativo pode identificar a ameaça antes que ela danifique o PC. Se está desconfiado do conteúdo que recebeu, entre em contato com o amigo que ”supostamente” enviou o e-mail ou link no chat para conferir sua veracidade.
  • Spyware (programa espião)
Do inglês, ”spy” significa espionar. São programas que se instalam num computador sem que o usuário perceba, às vezes junto a um outro software que estava sendo baixado. Eles recolhem informações sobre o usuário, como hábitos de navegação, e as transmitem remotamente para outro computador.
Como se proteger: Usar um firewall é recomendável, pois o programa vai identificar tentativas de instalação de programas sem seu consentimento. Não clique em caixas de diálogo suspeitas. Geralmente, o programa espião se disfarça em ”oferta gratuita”. Desconfie!
  • Malware
Do inglês, ”malicious software”, ou programa malicioso e abrange vários tipos de ameaças (vírus, worms, cavalos de troia, spywares, entre outros). Vem disfarçado em anexos de e-mails e mensagens instantâneas e podem conter vírus, cavalos de troia e ”vermes” que danificam o sistema do computador. Eles podem até enviar a si mesmos — e automaticamente — para sua lista de contatos.
Como se proteger: Nunca abra anexos nem clique em links na web enviados por desconhecidos. Se for enviado por um colega ou familiar, mas você estiver desconfiado, entre em contato com a pessoa antes e confirme se ela lhe enviou aquele conteúdo. Se receber o link suspeito pela janela do programa de chat, encerre a sessão da mensagem.
  • Botnets
Redes formadas por diversos computadores infectados com os chamados ”bots”. Eles funcionam como worms — exploram vulnerabilidades em sistemas e softwares — mas também conseguem se comunicar com o cibercriminoso que o controla. São usadas para ataques de negação de serviço: máquinas infectadas viram ”zumbis” utilizados para derrubar acesso a sites. Também fazem parte de fraudes e envio em massa de spams.
Como se proteger: É mais difícil de ser detectado, mas como no caso dos worms, vale manter sistema operacional e softwares sempre atualizados, para evitar brechas de segurança. Já um firewall, que impede a comunicação entre sua máquina e o invasor, também pode ser eficaz.
  • Phishing (lembra ”fishing” ou pescar em inglês)
É o golpe que usa e-mails não-solicitados, aliados a sites fraudulentos — mas com cara de verdadeiros ou muito similares aos originais — como isca para roubar dados pessoais. A vítima clica no endereço falso e um código malicioso é instalado na máquina. Ao digitar a senha e login, julgado que se trata de um site verdadeiro, o usuário acaba fornecendo sem perceber essas informações aos criminosos.
Como se proteger: Sempre digite o endereço direto no navegador. Preste atenção no endereço: sites que iniciam comhttps:// usam um protocolo de segurança.
  • Spam
É todo tipo de mensagem que você não deseja receber — e na maioria dos casos, nem ao menos se cadastrou e autorizou o seu envio. Algumas mensagens contêm linguagem ofensiva e sugerem links para sites de terceiros.
Como se proteger: Recuse mensagens de contatos que não estão na sua lista, marcando-os como spam (muitos serviços de e-mail oferecem essa ferramenta). Evite preencher cadastros online se o site não declara o que fará com seus dados, nem solicita sua autorização para enviar mensagens.
  • Scam
Qualquer tentativa de golpe ou fraude com objetivo de roubar dinheiro do usuário (e que engloba o phishing). Pode ser uma mensagem de e-mail, oferecendo dinheiro caso você cumpra uma determinada tarefa (ex.: falso nigeriano oferecendo recompensa se você depositar determinada quantia numa conta no exterior); falsas ofertas em sites de leilão ou por e-mail, como produtos com descontos, mas que não são entregues ou são falsificados (ex.: venda de Viagra e medicamentos controlados via e-mail).
Como se proteger: Acione o ”desconfiômetro” sempre que receber e-mails ou entrar em sites com ofertas ”mirabolantes”. Geralmente, os termos utilizados pelos cibercriminosos são ”urgente”, ”confidencial”, ”imperdível”. Nunca forneça informações bancárias ou dados pessoais para autores dessas mensagens e sites
Anúncios

Entry filed under: Tecnologia. Tags: .

São Paulo será coberta por internet gratuita Postos de saúde do Brasil terão banda larga

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Agenda

fevereiro 2013
S T Q Q S S D
« jan   mar »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728  

Most Recent Posts